É tão massa quando os caminhos da vida nos levam por jornadas inesperadas e nos conectamos com pessoas incríveis! Foi assim que conheci Rodrigo Bragança em 2019, enquanto cursava a Especialização em Rock pela Faculdade Santa Marcelina. Tive oportunidade de ter aulas com esse guitarrista, compositor, professor e produtor musical tão criativo na disciplina de Laboratório de Composição.


Rodrigo trouxe para a disciplina uma abordagem livre, criativa, até meio misteriosa, nos guiando por caminhos curiosos, percorrendo os túneis da percepção.


Pouco depois dessas aulas, compartilhei com ele minhas intenções investigativas (rs) de design para a música e decidimos colaborar na criação da identidade visual da Oficina Criatividade em Música, workshop online no qual Rodrigo ensina diferentes técnicas de criatividade pra soltar as rédeas da imaginação, exercitar a criatividade e criar, criar e criar música!


Na oficina, aprendemos a lutar contra os "guardinhas do julgamento" e a abraçar nossa criança interior, que só quer se divertir sem se preocupar! Porque Música é isso, é diversão, afeto, acolhimento interno, é o acesso a lugares que a arte nos permite chegar quando nos abrimos para a experiência criativa.



Para a criação dos materiais, identifiquei que o mais adequado e conectado ao trabalho proposto pelo músico e professor seriam imagens abstratas, que remetessem a pinceladas livres, chamas de uma fogueira queimando intensa e também águas de um mergulho profundo em si mesmo/a.


Escolhemos cores fortes e vivas, contrastando com outras mais escuras, intensificando as sensações acessadas durante a oficina, ora alegres e radiantes, ora íntimas e profundas. Duas tipografias contrastantes também se harmonizam no logotipo da oficina, uma serifada, conectada às artes clássicas, à filosofia e à reflexão, e outra sem serifa e digital, plugada no nosso tempo.

A partir da identidade visual, foram desdobrados materiais digitais de divulgação para redes sociais, como cards/flyers para instagram e facebook, templates para stories, e uma landing page no site do músico, com informações sobre a oficina e link de cadastro para novos alunos.


Confira abaixo mais algumas peças gráficas criadas para divulgação da Oficina!


Para mim foi um privilégio colocar mais uma vez o design gráfico à serviço da música!


E você? É professor/a de música? Possui algum serviço para músicos ou relacionado à música e se pergunta que o design gráfico pode fazer por você ou pelo seu negócio? Entra em contato e vamos descobrir!




Você, mulher musicista, já quis formar uma banda com outras garotas, entrou em comunidades online, grupos e mais grupos em redes sociais, e até colocou um anúncio no mural da escola de música ou conservatório, mas só encontrou os meninos de sempre? Zero problema em formar bandas com meninos, mas, mana, é bom demais montar coletivos de garotas pra criar projetos, confabular e fazer um som com as minas!


Somos de uma geração que cresceu ouvindo que "muita mulher junto não dá certo", entre outras frases do tipo, e hoje a gente sabe que era mais uma forma de nos desarticular enquanto grupo, retirando de nós a possibilidade de organização e mobilização coletiva pelos nossos direitos e interesses. Muitos pais e mães também nos disseram que guitarras barulhentas e baterias eram coisas de garotos sujinhos, e que era melhor ir fazer aula de bordado ou balé. Mas... fazer o quê, a música é um ímã! E agora chegou a hora da revanche :) Bora fazer um som?



O Mina sem Banda é um projeto que nasce do ventre da pós em Rock, curso de Especialização que estou cursando na Faculdade Santa Marcelina (FASM/SP), como projeto final da disciplina de Produção Executiva. Além dessa necessidade objetiva, surge também como resposta ao fato de muitos festivais (tanto mainstream quando undergrounds!) ainda terem uma porcentagem muito pequena de mulheres nos palcos (confira esta pesquisa aqui!). Queremos que mais bandas com mulheres sejam formadas, e queremos festivais com palcos mais representativos!


O objetivo do Mina, muito inspirada pelo projeto Girls Rock Camp (que eu AMO de paixão!) é criar e nutrir uma rede de mulheres interessadas em montar uma banda e/ou fazer jam sessions regulares com outras musicistas da sua cidade ou região! A ideia inicial, claro, era chamar todo mundo pra uma maravilhosa aglomeração presencial dentro de estúdios, pra já sair tocando, mas né? Por estarmos passando neste 2020 por uma pandemia, (risos nervosos) os planos mudaram um pouco e a programação do projeto inicia de forma remota, com planos de etapas presenciais num futuro próximo!


A programação, que está sendo cocriada com musicistas parceiras, será divulgada aos poucos pelas redes sociais! Acompanhe o Mina sem Banda no instagram e bora construir um futuro com muito mais bandas girl power!

Como comentei em algum lugar por aí, estou cursando uma pós-graduação em Rock (sim, existe!). Numa aula sobre Revoluções do Rock mais ou menos no meio do ano passado, tivemos Bianca Jhordão, vocalista e guitarrista da banda Leela, como convidada pra bater um papo com a gente sobre representatividade feminina na cena rock brasileira. Desde então acabamos nos aproximando e desenrolando alguns projetos juntas.


Pra quem não a conhece, uma breve apresentação: Bianca, com sua primeira banda, Polux, percorreu por três anos o cenário underground brasileiro. Na sequência, com o guitarrista Rodrigo Brandão, formou a banda Leela, que lançou seu primeiro álbum em 2004 e incluía canções como “Te Procuro”, que foi tema da telenovela Malhação. O segundo álbum veio em 2007, mesmo ano em que se mudou para São Paulo e foi convidada a apresentar o programa “Nickers”, do canal de televisão Nickelodeon. Continuando na TV, Bianca assumiu também o programa “Combo: Fala+Joga”, no canal PlayTV e, em 2014, foi jurada do reality-show “Breakout Brasil”, no canal Sony Brasil. (Texto extraído desta matéria aqui.)


Nos últimos tempos, a banda está super focada em novas composições e numa série de videoclipes muuuito incríveis. Na ocasião do lançamento do videoclipe do single Scarfacebook, fizemos em parceria a criação de uma estampa comemorativa!


Confere o videoclipe:


E agora se liga como foi o processo de criação da estampa, da qual fiz direção de arte e foi ilustrada pela maravilhosa Vanessa Reyes.


Começamos fazendo uma análise e levantamento de referências dentro do próprio videoclipe, observando as personagens, texturas, luzes e sombras, além de aspectos conceituais abordados na letra e nas cenas:

A partir das observações e conceitos, montamos um moodboard, ou o famoso painel de referências, pra entender como poderíamos criar uma metáfora visual sobre a música! Nosso painel conceitual e abaixo, formal, pensando em qual estilo gráfico poderíamos usar para materializar a ilustração. Escolhemos a linguagem quadrinhos/vintage por ter um diálogo com o história da própria Bianca no mundo gamer/cultura pop.



De toda essa salada, nasceram algumas ideias:


E por último nossa versão final e a camiseta pronta, em uso pela própria Bianca!


E aí, curtiram? Esperamos que sim! Vocês podem comprar a camiseta falando diretamente com a banda pelas redes deles! Ah, e a camiseta foi lindamente produzida e silkada pela estamparia mais massa de São Paulo, a SP Rock!


Taí mais uma das coisas que o Design pode fazer pelo Rock! <3 Yeah!


Design Per Music
Design Gráfico à serviço da Música
  • Instagram - White Circle
sigla.png
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now